Rani Yahya admite desgaste em última luta e aponta os melhores nomes da arte suave no MMA atual

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Please enter banners and links.

 

_

Um dos lutadores que há mais tempo tem contrato com o UFC, Rani Yahya, apesar de veterano, ainda tem 32 anos e uma longa carreira pela frente. O atleta vinha embalado por uma série de três vitórias na organização, até ser derrotado por Joe Soto no UFC Fight Night 106, que aconteceu no dia último dia 11 de março em Fortaleza. Melhor no inicio do combate, o atleta acabou derrotado pelo norte-americano por decisão unânime.

“Achei que foi uma luta muito boa, movimentada. Claro que fiquei desapontado por não ter vencido, fiz um bom primeiro round, onde os três jurados deram pra mim. Já nos dois round seguintes meu rendimento caiu muito. O que faltou com certeza foi estar com a parte física em dia, sofri muito para bater o peso, cheguei a desmaiar na pesagem. Essa foi uma coisa que já venho investigando há algum tempo. Acho que eu se seu conseguir manter o ritmo os três rounds, vou conseguir ganhar sempre. No segundo e terceiro round da luta contra o Soto já estava me sentindo muito dolorido, não conseguia fazer mais nada”, analisou Rani.

Com um cartel de oito vitórias e apenas três derrotas no UFC, Rani Yahya também alcançou grandes resultados na arte suave. Reconhecido como um dos maiores nomes do Jiu-Jitsu dentro do MMA atualmente, o lutador que já se consagrou campeão do ADCC em 2007, apontou os atletas que melhor aplicam o Jiu-Jitsu nas artes marciais mistas atualmente:

“O Demian sem dúvida, o Jacaré também, e eu venho falando há algum tempo do Charles do Bronx. É um cara com estilo diferente do Demian e do Jacaré, mas ele ataca muito, sempre busca as finalizações, de uma forma despretensiosa até. A maioria das lutas que eu vejo dele, ele acaba finalizando. As duas últimas ele acabou finalizado, mas acho que é só uma questão de corrigir sua defesa de guilhotina, que logo deve voltar a vencer”, afirmou o faixa-preta.

Recentemente tem acontecido uma grande migração dos atletas de Jiu-Jitsu para o cage. Lutadores como Rodolfo Vieira, Augusto Tanquinho, Gabi Garcia, e Mackenzie Dern são alguns exemplos de atletas que vem buscando seu espaço no MMA nos últimos anos. Para os novos atletas que pretendem seguir o mesmo caminho, Rani Yahya deixa seus conselhos para quem pretende repetir o sucesso dos tatames no cage:

“Acho que é treinar muito Jiu-Jitsu com e sem quimono, ficar bem atualizado na parte de queda. Hoje quem puxa para a guarda acaba ficando em desvantagem, tem que ficar atento nessa parte de wrestling. Também é muito importante treinar usando a parede, essa parte de grade. Tem luta por exemplo que o round é quase inteiro com os dois lutadores na grade, portanto, essa parte é muito importante também”, finalizou Rani.

Natural de Brasília, onde reside e treina até hoje, Rani Yahya recentemente foi classificado no ranking do UFC da categoria peso-galo como um dos 15 melhores da divisão. Treinando para corrigir os erros de sua última luta, o atleta aguarda o chamado do UFC para seu retorno ao octógono.

Related posts

Leave a Comment