Amanda Nunes respeita opinião de Aldo sobre treinar com gays, mas declara: “O ser humano precisa aprender a respeitar”

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Please enter banners and links.

A simpática Amanda Nunes (Foto: Buda Mendes/Getty Images).

Amanda Nunes é a atual campeã dos pesos galos femininos da maior organização de MMA do mundo, com sua notoriedade, a baiana luta para tentar atenuar o preconceitos contra homossexuais no esporte. Lésbica assumida, a ‘Leoa’ namora com Nina Ansaroff, que também é lutadora do UFC.

Recentemente o Combate.com fez uma matéria tratando sobre o tabu entre homens lutadores de MMA assumirem a homossexualidade, no artigo em questão, alguns lutadores de nomes foram entrevistados pela equipe, dentre eles o campeão do peno pena, José Aldo. O amazonense retratou qual seria a sua reação, caso um parceiro de treino assumisse ser gay.

– Lógico (que ele sofreria preconceito)! O mundo é masculino. Não tem como fugir disso. É muito fácil falar na TV, fica bonitinho, mas no dia a dia não ocorre isso. Principalmente na academia. É muito difícil um atleta chegar na academia e falar “eu sou veado”, “eu sou gay”, e ficar tudo bem. Para o grupo não é tudo bem. Para ele é normal, para o grupo não. É uma situação muito difícil, só vivendo para ter certeza do que realmente seria. Aqui a gente está de cabeça tranquila, relaxado, seria normal falar que é algo normal, como pode ter (algum gay na equipe) e não sabermos. Mas ele assumir e falar, a situação seria difícil para o cara porque todo mundo ia ter preconceito. O esporte é muito masculino, ia ser bem difícil treinar com ele. Quem é amigo, parceiro, pode ajudá-lo, mas seria difícil para todo mundo e acho que isso ocorre em todas as academias. Dar declaração é fácil, mas viver essa situação é bem difícil. Não tem como. Nenhuma academia do mundo, principalmente de pessoas mais humildes, vai aceitar uma situação dessas – declarou o lutador em entrevista.

O tema e a declaração de José Aldo correu o mundo e, em entrevista coletiva no Instituto Reação, na Rocinha, Rio de Janeiro, a lutadora vou questionada sobre a declaração de José Aldo. A ‘Leoa’ adotou um discurso de paz, mas ressaltou a importância de se ter respeito pelo outro, para um mundo melhor.

 – Eu acho que cada um tem o seu ponto de vista. Eu treino com qualquer um… Homem, mulher, preto, branco, gay, lésbica… Não é nada disso. É respeitar e isso é muito importante. O ser humano precisa aprender a respeitar um ao outro para o mundo ser um melhor lugar, esse é meu ponto de vista – Contou a lutadora para os profissionais da imprensa ali presentes

Related posts

Leave a Comment